Blog

Fique por dentro das notícias e novidades da Arth!

Preço, Custo ou Valor?

Compartilhe pela rede:

Pode parecer simples, mas é raro encontrar empresas que saibam comparar a diferença entre preço e custo total. Tudo se inicia no emaranhado fiscal e tributário do nosso país e termina na análise superficial de quem compra e quem vende.

O preço nada mais é do que o módulo monetário que se paga, a priori, por determinado produto. Mas  será que avaliando todas as condições, esse preço é realmente o mais barato para a empresa? Avaliar o custo total, incluindo processos, logística, finanças e outros, é imprescindível para uma análise correta entre preço e custo.

Quando tratamos de produtos de comunicação visual, temos uma série de quesitos que deveriam ser avaliados e que muitas vezes barram nestas análises superficiais.

  • Preço unitário m² x Custo total projeto
  • Especificação técnica x durabilidade esperada do material
  • Prazo de entrega, Lotes e Tempo de Estoque
  • Frete
  • Créditos Fiscais
  • Prazo de Pagamento

Destes e outros itens, poderíamos tecer uma série de parágrafos e exemplos de como é fácil comprar por preço e se enganar. A avaliação completa dos custos do resultado entregue muitas vezes desmente a compra por preço. Certamente trataremos de cada um destes itens em outros artigos.

Evoluir de preço para análise do custo total é importante para gerar ganhos reais de redução de custos e melhorar os resultados das empresas. Contudo, há uma terceira análise, mais complexa e importante ainda. A análise da geração de valor.

O que queremos entregar para nosso cliente?

O que o nosso cliente quer comprar de nós?

Os discursos bonitos de responsabilidade social e ambiental são reais ou apenas marketing furado? A busca por uma empresa certificada é para construir qualidade garantida e certificada ou é apenas para preencher documentações? A ideia de parceria de longo prazo é para uma relação de ganha-ganha ou apenas um discurso generalista?

Tem sido muito comum observar estes discursos chamados “marqueteiros”, sem a prática real do mesmo. Mas o que o mercado prega para isso? São muitas visões, umas de mais curto prazo e outras de maior longevidade. Não cabe a nós nesse artigo julgar as práticas das empresas brasileiras. Contudo, queremos nos basear numa visão de mais longo prazo.

É consenso que as empresas mais duradouras cravejam o seu sucesso em uma receita bastante simples de falar e complexa de praticar: se reinventar diariamente sem perder os valores e as essências da fundação da empresa.

Por isso acreditamos que outros parâmetros do produto, do compromisso e da entrega, devam ser avaliados na hora da compra. Porque a longo prazo, o produto se torna obsoleto, as pessoas mudam, o benefício deixa de fazer sentido. Mas os valores reais devem permanecer. São os valores que fabricam as marcas e é preciso entender que os consumidores compram as marcas e estes valores intrínsecos.

O Grupo Arth não vende apenas preço. O Grupo Arth não vende apenas custo benefício. O Grupo Arth vende valor. Vendemos os nossos valores e vendemos produtos e serviços que agregam valor a marca dos nossos clientes. Essa é a nossa razão de existir.

Compartilhe pela rede:

Galeria de imagens